Vencedores Festival de Cinema de Havana

dezembro 17, 2012

no-bernal-poster

Por Janaina Pereira

Foram anunciados na última sexta-feira (14) os vencedores da 34ª edição do Festival de Cinema de Havana – oficialmente chamado de Festival Internacional do Novo Cinema Latinoamericano. O filme No, do cineasta chileno Pablo Larraín (exibido na Mostra de São Paulo deste ano) foi o vencedor do prêmio Coral de melhor filme. Em segundo lugar ficou a co-produção Brasil/Chile/Argentina Violeta se fue a los cielos, do também chileno Andrés Wood. O terceiro lugar ficou com o brasileiro Febre de Rato,de Claudio Assis, enquanto o argentino Dias de Pesca, de Carlos Sorín, conquistou o Prêmio Especial do Júri. 

Violeta se fue a los cielos ainda venceu o Prêmio Coral de direção de arte para Rodrigo Bazaes. O Brasil ganhou também uma menção especial do júri com Era uma vez eu, Verônica, de Marcelo Gomes (co-produção Brasil/França); e uma menção especial do prêmio SIGNIS, concedido pela Associação Católica Mundial pela Comunicação para o curta O Afinador, de Fernando Camargo e Matheus Parizi.  

Os diretores de O Afinador conversaram com o Cinemmarte sobre a premiação. Para Matheus Parizi, ser premiado em Havana é uma alegria enorme. “Havana é uma janela para a produção latino-americana contemporânea e ao mesmo tempo é um festival com um público muito diferente de Veneza. Então estar inserido nesse contexto e ter esse tipo de resposta daqueles que veem o nosso filme nos ensina mais coisas sobre a sua universalidade, sobre a sua atualidade e também sobre aquilo que é específico da sua poética. Sempre é uma relação de troca importante, que nos instiga. Estamos muito felizes com a menção especial”, comentou o cineasta. 

Fernando Camargo disse que está lisonjeado com o prêmio. “Sermos premiados em um dos Festivais mais tradicionais da América Latina como o de Havana é como dar continuidade ao sonho que se iniciou em 2010 e que foi aos poucos se materializando. Agora fechamos o ano de 2012 em plena felicidade. Que venha 2013!” 

No prêmio SIGNIS, além da menção especial para o curta brasileiro, No foi escolhido como o melhor longa-metragem, e o argentino Elefante Branco, de Pablo Trapero, um dos maiores sucessos do Festival do Rio 2012, recebeu uma menção. 

No é o quarto filme de Pablo Larraín, considerado o mais promissor cineasta chileno da atualidade. O longa,protagonizado pelo mexicano Gael García Bernal – o Che Guevara de Diários de Motocicleta (2004), do brasileiro Walter Salles – trata do plebiscito que, em 1988, precipitou o fim da ditadura do general Augusto Pinochet (1973-1990). No é a indicação chilena para disputar o Oscar na categoria de melhor filme estrangeiro. 

Veja a lista completa dos vencedores do Festival de Cinema de Havana aqui. http://www.habanafilmfestival.com/noticias/index.php?newsid=655

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: