Fstival de Berlim 2012 – Day 5

fevereiro 13, 2012

por Janaina Pereira, de Berlim

O Festival de Berlim foi marcado nesta segunda-feira, 13, pela exibição – fora de comeptição – do mais novo filme do aclamado diretor chinês Zhang Yimou (Herói): Flowers of War relata a traumática invasão japonesa na China em 1937, mas precisamente na cidade de Nanquim – onde mais de 200 mil pessoas foram mortas. A grande curiosidade do filme, no entanto, está em seu protagonista, o astro americano Christian Bale, mas conhecido como o Batman da trilogia de Christopher Nolan e ganhador do Oscar de melhor ator coadjuvante ano passado, por O Vencedor.

Na coletiva de imprensa que aconteceu à noite, horas antes da premiere do longa, Bale conversou com a imprensa sobre a oportunidade de fazer um filme em chinês, sendo dirigido por um cineasta que não fala inglês. “Tinhamos a ajuda de un intérprete, e foi uma experiência incrível. Fazer um filme chinês, com um diretor como o Yimou foi algo muito marcante na minha carreira”, revelou o ator, que interpreta um americano perdido no meio da guerra, que acaba se refugiando em um colégio junto com dois grupos bem differentes: pequenas estudantes de 12 anos e refinadas prostitutas chinesas. No meio da batalha que se instala em Naquim, ele se veste de padre para tentar salvar as meninas e as prostitutas.

Yimou é um dos diretores mais celebrados na Berlinale. Em 1987 ele ganhou o Urso de Ouro por O Sogro Vermelho, e desde então lança todos os seus filmes durante o festival, ainda que fora de competição. O cineasta explicou a importância de Bale no projeto.

“Eu queria mostrar um episódio difícil da nossa história, um trauma nacional. E queria um personagem que fosse incomum naquele cenário, para dar consciência a todos ao que acontecia. E é por isso que quis Bale neste trabalho.”

O grandioso filme de 141 minutos de duração chama a atenção pelo forte apelo visual e a ótima interpretação de Bale. Flowers of War ainda não tem distribuição no Brasil.

Na mostra competitiva, três filmes se destacaram: o italiano Cesare deve morire, dos veteranos irmãos Taviani – relato sobre a montagem da peça Julio Cesar, de Shakespeare, em um presídio, traçando um paralelo entre os presos e os personagens da peça  -, o filipino Captire, de Brillante Mendonza, e o alemão Barbara, de Chiristian Petzold. Em um festival morno, esses filmes aparecem como possíveis vencedores do Urso de Ouro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: