Festival de Veneza 2011 – Day 3

setembro 2, 2011

por Janaina Pereira, de Veneza

Ainda que The Ides of March e Carnage tenham sido aplaudidos e elogiados, os dois filmes ainda nao apareciam como francos favoritos a vencer o Festival de Veneza 2011. No entanto, na manha desta sexta, dia 2, A Dangerous Method, novo filme de David Cronenberg (foto), foi exibido em sessão especial para a imprensa e ardorosamente apaludido em seu final.

O longa, que no Brasil sera distribuido pela Imagem Filmes, é um thriller sexual e biográfico narrando a história real da relaçao de amizade e rivalidade entre Sigmund Freud e Carl Jung, os dois maiores nomes da psicanálise clássica. De quebra, ainda mostra a perturbada Sabina Spielrein, que se tornou uma das primeiras mulheres psicanalistas da historia e viveu uma turbulenta relaçao com Jung. Para viver os personagens, Michael Fassbender (excelente como Jung), Viggo Mortensen (muito bom como Freud) e Keira Knightley (surpreendentemente bem como Sabina, em atuaçao com cara de indicaçao ao Oscar).

A psicanalise foi tratada de forma perturbadora por Cronenberg, dando lugar a cenas de loucura e sadomasoquismo, que sao bem a cara do diretor. Mas, para espanto de todos, Cronenberg ée amoral somente nas telas – ele foi gentil e simpatico ao extremo na coletiva de imprensa, onde foi aplaudido de pé pelos jornalistas. ele definiu seu filme como um “ménage à trois intelectual.”

A magérrima e apagada Keira, ja cotada a Coppa Volpi de melhor atriz, vai causar o deleite dos marmanjos no filme, onde é chicoteada em uma das cenas mais escandalosamente sexuais do cinema – e ao mesmo tempo filmada com incrivel bom gosto por Cronenberg.

Mas, se Cronenberg soube falar de sexo sem pudor e com elegancia, o mesmo nao se pode dizer de Phillip Grael. Seu Un Été Brûlant – que conta o romance de uma mulher madura por um jovem – foi vaiado na sessao de imprensa e nao teve perdao nem mesmo para a musa italiana Monica Bellucci. A atriz, que aparece nua ja na primeira cena do filme, se mostrou constrangida na coletiva de imprensa com as perguntas dos jornalistas – todos queriam uma justificativa para a cena que, na verdade, nao tinha mesmo justificativa. Monica alegou que a intençao do diretor era mostrar a serenidade da personagem mas nao convenceu. A cena era apelativa, e so serviu para comprovar que Bellucci continua em otima forma – e mais linda pessoalmente do que no cinema, embora isso nao pareça possivel.

Ainda na lista dos filmes que concorrem ao Leao deste ano ja foi exibido aqui o grego Alpis, de Yogos Lanthimos, que traz como protagonista Ariane Labed, vencedora da Coppa Volpi de melhor atriz no ano passado. Assim como os demais filmes gregos, Alpis é um show de tedio. Mas faz parte da programaçao ter filme ruim, e a gente ja sabe disso.

O Festival de Veneza segue neste sabado com a exibiçao, fora de concurso, do novo filme de Steven Soderbergh, Contagion.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: