Minhas mães e meu pai

novembro 22, 2010

 
 
por Janaina Pereira
 

Enquanto alguns países do mundo, como o Brasil, ainda discutem se oficializam ou não o casamento entre homossexuais, o cinema mostra que estas relações são como qualquer outra, cheias de altos e baixos, afetos e crises. Quase perfeita para abordar as novas relações familiares é a comédia Minhas mães e meu pai (The kids are all right), de Lisa Cholodenko, em cartaz.

Digo quase perfeita porque, lá pelo final, o longa dá um derrapada grotesca ao excluir uma das partes dessas novas relações do contexto familiar. Essa derrapada, porém, não tira o brilho de um filme que acerta em tantas outras coisas, como a escolha do elenco e a naturalidade como o roteiro e a direção mostram uma relação homossexual.

A trama fica em torno das lésbicas Nic (Anette Benning) e Jules (Julianne Moore) que, aparentemente, têm um casamento estável. A relação vira de cabeça para baixo quando seus filhos, Joni (Mia Wasikowska) e Laser (Josh Hutcherson), resolvem trazer Paul (Mark Ruffalo), o pai, doador de esperma, para suas vidas. As coisas ficam complicadas quando Jules, sentindo que seu casamento está cada vez mais monótono, se envolve com Paul.

Sucesso nos Festivais de Berlim e do Rio e na Mostra de São Paulo, Minhas mães e meu pai tem como grande triunfo as ótimas atuações de seu elenco, apesar de Anette Benning estar um tanto quanto exagerada em algumas cenas. Julianne Moore, no entanto, compensa tudo, sempre com a versatilidade que faz dela uma das melhores atrizes americanas.

O roteiro também é muito feliz na forma como aborda a relação familiar onde duas lésbicas têm os mesmos problemas que qualquer casal heterossexual, e seus filhos são bem resolvidos mesmo tendo sido criados por duas mães. Ou seja, existe sim normalidade nas relações homossexuais, com direito a todas as alegrias e sofrimentos de uma relação heterossexual.

Se o final decepciona em parte, no todo Minhas mães e meu pai cumpre não só seu papel de divertir, como também de apresentar ao público está mais do que na hora da vida, mais uma vez, imitar a arte.

Anúncios

Uma resposta to “Minhas mães e meu pai”

  1. Douglas said

    Amei esse filme, não só pela identificação, mas pelo filme em si mesmo e pelas mensagens humanas e atuais que passa durante a projeção, mas o final realmente é fraquinho e eu já pensei em um final melhor, mas esse vai ser particular, hehe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: