O Golpista do Ano

junho 1, 2010

 

por Janaina Pereira

Muito se falou sobre O Golpista do Ano – título péssimo para I love you Phillip Morris (exibido na Mostra de São Paulo ano passado e em cartaz a partir deste feriadão de 3 de junho), o longa que traz Jim Carrey, Ewan McGregor e Rodrigo Santoro como homossexuais. Quem espera um filme polêmico, vai encontrar uma cena mais ousada para os convencionais padrões americanos. Nada que O Segredo de Brokeback Mountain, de Ang Lee, já não tenha feito.

Amor entre pessoas do mesmo sexo já deixou de ser novidade na telona, e talvez a diferença aqui seja o humor como fio condutor da história, baseada na vida de Steve Russell, um pilantra no melhor estilo de Prenda-me se for capaz, aquela comédia simpática de Spielberg, com Leo di Caprio e Tom Hanks.

Eu, particularmente, não gosto de Jim Carrey, embora ele tenha feito dois dos meus filmes preferidos – O show de Trumam e Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças. Acho que ele bem dirigido consegue dar conta do recado, mas em comédias Carrey costuma ser caricato demais.

Em O Golpista do Ano não é diferente. Ele interpreta Russel, policial bem casado que após um acidente resolve assumir sua homossexualidade. Para viver no mundo gay, Russell vira um picareta, capaz de qualquer ato ilegal para conseguir dinheiro fácil. E é aí que Carrey perde o rumo, abusando das caretas e tornando o personagem uma caricatura de si mesmo.

Para sorte de Carrey – e do público – em uma das prisões de Russell ele conhece o Phillip Morris do título original, brilhantemente interpretado por Ewan McGregor. Graças ao ator, o filme ganha novos ares e se torma muito mais agradável.

Russell e Morris se apaixonam e essa relação vira uma história de amor e falcatruas com situações dramáticas, mas também divertidas.

E Rodrigo Santoro? Ele está lá, em quatro cenas, como o primeiro namorado de Russell, antes deste ir para a cadeia. Santoro aparece como terceiro nome no crédito, e seu personagem acaba perdido no meio do filme, ressurgindo já no final para sabermos que fim ele levou.

O Golpista do Ano é um mistura bem humorada de Filadélfia e O Segredo de Brokeback Mountain. Dá para ver e se divertir, especialmente porque McGregor teve a delicadeza de compor seu personagem sem esteriótipos, o que torna o filme melhor do que de fato é.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: