Gigante

agosto 21, 2009

 GIGANTE_(2009)

Por Janaina Pereira


Como pode um filme dizer tanto usando poucas palavras? É só saber utilizar as imagens – e as músicas – certas. Assim é Gigante, de Adrián Biniez, que conta a história de Jara, um homem tímido e solitário que trabalha como segurança num supermercado na periferia de Montevidéu. Desde as primeiras cenas, parecemos sufocados em sua vida tediosa. Trabalhando na equipe noturna do mercado, Jara não tem muito que fazer e passa o tempo comendo e se distraindo com palavras cruzadas.

Apesar do marasmo que o cerca, há algo de interessante no ‘grandalhão’ com cara de mal humorado: ele é fã de heavy metal. Entre acordes de guitarras, percebemos que o rock pesado pontua sua vida, e é a única coisa que o faz se sentir bem – além do futebol na TV ou no videogame.

Uma noite, porém, Jara vê Julia na tela de seu monitor. Ela é faxineira do supermercado e ele sente-se atraído pela moça. A partir daí, passa suas horas assistindo a seu trabalho. Sua curiosidade é tanta que começa a seguir a jovem e passa a organizar toda sua vida em função dos hábitos e do cotidiano dela.

A timidez de Jara também parece não ter fim. Homem de poucas palavras, mesmo tendo várias oportunidades de se aproximar de Julia, ele prefere apenas observá-la. Começa a fazer ginástica depois de ver a moça lutar karatê – mas não se mostra para ela. Ouve rock cada vez mais alto após descobrir que ela também é fã de Metallica – mas não deixa que ela o veja.

A obsessão por Julia chega ao limite quando o supermercado decide demitir alguns funcionários. E se a jovem não estiver mais lá todas as noites para Jara observá-la, como ficará a vida dele? Esta é a melhor parte da história e, claro, não vou revelar.

O filme consegue, ao longo de 90 minutos, dizer muito mesmo com poucos diálogos. Jara não ouve a voz de Julia – e o público também não. Ele mesmo fala pouco, é sisudo mas tem olhos expressivos que sorriem ao ver o alvo de sua paixão. Não é preciso falar pois o sentimento está ali, bem visível.

Urso de Prata (Grande Prêmio do Júri), Prêmio de Obra estreante e Prêmio Alfred Bauer (de inovação cinematográfica) no 59º Festival de Berlim (2009), e vencedor de três prêmios no Festival de Gramado 2009, Gigante poderia ser apenas mais uma história de amor. Mas vai além disso. É amor dos bons, grande, intenso, daquele que nos envolve lentamente.  Poderia até ser um amor platônico, mas é puro heavy metal.

Título original: Gigante

Uruguai, 2009, 90 minutos

Comédia

Diretor: Adrián Biniez

Roteirista: Adrián Biniez

Diretor de fotografia: Araudo Hernández Holz

Diretor de arte: Alejandro Castiglioni

Música: Adrián Biniez

Distribuição nacional: Imovision 
 
Elenco: Horacio Camandule, Leonor Svarcas, Fernando Alonso, Diego Artucio, Fabiana Charlo, Ariel Caldarelli, Andrés Gallo, Federico Garcia, Nestor Guzzini, Esteban Lago, Ernesto Liotti
  

 Assista ao trailer de Gigante.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: