Se beber não case

agosto 19, 2009

sebebernaocase_3
por Janaina Pereira

 
Filmes com piadinhas e situações masculinas, liderados por um elenco com estereótipos masculinos, dificilmente agradam as mulheres. Se beber não case, de Todd Phillips – estreia desta sexta, 21 – tem tudo isso mas foge do padrão graças ao inteligente roteiro que cativa o(a) espectador(a) mais sisudo(a). É diversão pura e com neurônios, coisa bem difícil de acontecer nas comédias mais recentes.

A história gira em torno de um tema pra lá de batido: despedida de solteiro – que rendeu o clássico cult A última festa de solteiro, com Tom Hanks (1984). Dessa vez temos Doug (Justin Bartha), o noivo, e três amigos (Bradley Cooper, Ed Helms e Zach Galifianakis) indo para Las Vegas, dois dias antes do casamento do moço. Eles pretendem passar uma noite inesquecível na cidade.

A noite, de fato, promete. O que acontece? Não sabemos – e essa é a boa sacada do roteiro, não mostrar o que realmente aconteceu. Tudo que nós, espectadores, vemos, é que os três padrinhos de casamento acordam no dia seguinte explodindo de dor de cabeça, e não conseguem se lembrar de nada. O luxuoso quarto de hotel está um caos, há um bebê escondido no armário, um tigre no banheiro e o noivo simplesmente desapareceu. Eles começam uma caçada desesperada em busca de Doug e, aos poucos, os eventos bombásticos da noite anterior vão surgindo.

A medida que vamos descobrindo o que aconteceu, a risada é garantida. Com trilha sonora pop dançante impecável, acompanhamos o trio refazendo os passos da noite anterior e se enrolando cada vez mais. Destaque para a já antológica cena de Mike Tyson – ele mesmo, o ex-campeão mundial de boxe – cantando uma música de Phil Collins. Sensacional.

Se beber não case fez bastante sucesso nas bilheterias americanas e não é difícil descobrir o porquê. O filme tem personagens clichês – Bartha é o noivo bonzinho; Cooper, o amigo bonitão; Galifianakis, o futuro cunhado esquisitão e Helms, o amigo que mente para a namorada mandona -, mas carismáticos. E, que me desculpem os meninos, as situações são perfeitamente plausíveis dentro do universo masculino.

O diretor consegue retratar a alma masculina com franqueza ímpar, por isso os homens se identificam. Já as mulheres têm a chance de comprovar que os homens cometem sempre as mesmas bobagens – e vão achar muita graça disso. E, claro, poderão apreciar o mais novo colírio do cinema, Bradley Cooper (aqui bem mais interessante do que em seu último filme, Ela não está a fim de você).

Ao inverter a lógica da trama, não mostrando a tal noite inesquecível (fique até os créditos finais para conferir o que realmente aconteceu), Phillips consegue dar mais vida aos personagens, e mistura na medida certa situações absurdas com fatos que poderiam ser verdade.

Se beber não case é uma comédia adulta e, principalmente, engraçada. O que toda comédia deveria ser – e nem sempre é.

Assista ao trailer de Se beber não case.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: