Michel Gondry no Rio

junho 8, 2009

por Janaina Pereira

O cineasta francês Michel Gondry é o diretor de um dos meus filmes preferidos – e um dos mais marcantes deste início de século – Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças. Por isso, para mim, é um privilégio poder escrever sobre sua obra e acompanhar a abertura da sua exposição Rebobine, por favor, que chega ao Rio amanhã, mas foi vista agora à noite, em primeira mão, para um seleto grupo de convidados.

Gondry começou sua carreira estudando gráficos numa escola francesa de Artes e passou a dirigir vídeos para a banda Oui Oui, na qual também tocava bateria. O sucesso dos videoclipes atraiu outras bandas locais e não demorou muito até que ele começasse a trabalhar internacionalmente. Em 1993, Gondry conheceu Björk e começou um dos relacionamentos mais criativos e longos de sua carreira.

Além de aclamado no cinema e na direção de videoclipes, Michel Gondry é um reconhecido diretor de comerciais (talvez venha daí sua estética muito particular no cinema). Uma de suas primeiras propagandas, “Drugstore” (1994) para a marca Levi’s,ganhou o Prêmio Lion d’Or em Cannes e está listado no Guinness Book of World Records como o comercial mais premiado de todos os tempos.

Dentre seus notáveis créditos estão ainda: “Mermaids” (1996) também para a marca Levi’s, vencedor da medalha de prata na Premiação Clio, bem como da medalha de bronze em Cannes; e “Smarienburg” (1997) para a Smirnoff, que recebeu medalhas de ouro em Cannes e na Premiação Clio. Mais recentemente, Michel concluiu o comercial “Bounce” para a Diet Coke, com a participação do ator Adrien Brody, o spot “Bellybuttons” para a Levi’s e uma série de spots para as propagandas da Gap na campanha “That’s Holiday”.

A Natureza Quase Humana (Human Nature) – primeiro filme dirigido por Gondry – foi lançado no Festival Internacional de Cinema de Cannes em 2001 e, no ano seguinte, surpreendeu o público do Festival de Sundance. O longa-metragem conta no elenco com Patricia Arquette e Tim Robbins, numa visão filosófica sobre a interação, às vezes trágica, mas quase sempre humana, entre um autor anormal, um jovem brutal, um gentil técnico de eletrólise, um pesquisador reprimido e seu assistente francês.

Mas foi com Brilho eterno de uma mente sem lembranças (2004) que Michel Gondry se consagrou. Ganhou o Oscar de melhor roteiro original ao lado de Charlie Kaufman (seu parceiro habitual), e entrou na lista de um dos mais criativos diretores de sua geração. O filme conta com atuações de Jim Carrey e Kate Winslet (indicada ao Oscar), que interpretam um casal que tenta recuperar sua relação em crise apagando as memórias ruins. Belo, poético e sensível, Brilho Eterno é daqueles filmes obrigatórios na seleção de qualquer cinéfilo.

A seguir, saiba mais sobre a exposição Rebobine, por favor, de Michel Gondry.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: